top of page
Buscar

A "Arma" que esmaga satanás

“Vinde à comunhão… É verdade que não sois dignos dela, mas dela tendes necessidade”

(São João Maria Vianney)


A bondade infinita, Nosso Senhor Jesus Cristo, instituiu o Santíssimo Sacramento, que é seu corpo, para dar-se a todos aqueles que, estando dispostos e em graça santificante, o quisessem receber. Mas é incompreensível que nós meros humanos possamos receber Nosso Senhor que está na Eucaristia, poderíamos nos questionar. Bom para isto Ele nos deixou uma resposta, tal, foi escrita com seu sangue, ou seja, Nosso Senhor o quer que o recebamos no Santíssimo Sacramento, não foi a toa que na ultima ceia Ele deu a benção e partiu o pão, e, dando a benção no vinho deu as seus discípulos para tomarem, ou seja, Jesus, quis doar-se a nós, sem resguardados, uma alma divina por muitas almas pecadoras. Este ato que foi realizado na ultima ceia é realizado todos os dias, quando se celebra a Santa Missa.

Mas como disse, é um ser divino que recebemos na Santíssima Eucaristia, ou melhor, é O Ser, em ato pleno, então quanta reverencia deveríamos dar a Ele, quanto deveríamos jogar nosso ego num poço sem fundo ao ver Nosso Senhor na Eucaristia, se intendêssemos realmente o que tal representa. Mas aqui cabe-nos fazermos outra pergunta, como comungar? Bem, é simples, basta estarmos em estado de graça e termos diante de Nosso Senhor uma constante renegação de si reconhecendo Nele o tudo, o essencial para a vida e o indispensável para a sobrevivência. Digo isso, pois, muitos santos, em seus últimos momentos de vida somente comungavam do Santíssimo Corpo de Jesus Cristo, sem nenhum outro alimento, pois reconheciam Nele, o único e indispensável sustento. Um caso concreto, para não gerar duvida, é o de Santa Catarina de Siena: "Sendo celebrada a Missa no quarto da Santa, já que ela estava debilitada e sem poder caminhar, na hora da comunhão, milagrosamente, levantou-se ajoelhou e recebeu Jesus Cristo na Eucaristia, seu coração ardia de amor e ficou ajoelhada por alguns momentos, depois levantou-se e voltou ao seu estado padecente." Quanta graça tem as pessoas que reconhecem que é Jesus que esta naquele pequeno pedaço de pão, que transubstancialmente, com as palavras que Cristo disse na ultima ceia, se transforma no Seu Corpo.

Mas veja, não é simplesmente assistir a Missa e na hora de comungar ajoelhar-se e receber Nosso Senhor como se estivesse comendo qualquer outra coisa. Que irreverencia demonstra quem isso faz, meus irmãos, é Jesus Cristo! Aquele que morreu na cruz por você e por mim! O Santo dos Santos, a qual muitos dão a vida. Esta na hora de parar de fazer comunhões mal feitas e começar a dar valor a Eucaristia, recebendo-a com um intenso fervor, e este, é ganho com muita oração, estudo e petição, pois primeiro se reza para pedir ao Senhor que se de a conhecer, já que é tão sublime o Seu Corpo, que não somos capazes de entender com nossas forças. Depois tendo alcançado esta graça, deve-se estudar sempre a luz do Espirito Santo, o que é a Eucaristia? Quando foi celebrada a primeira Eucaristia?... Dentre outras coisas que engrandecem a alma e que expliquem o grande mistério da fé, e, só assim, pedir a Nosso Senhor que se digne habitar em nossa alma corrompida pelo pecado, pedir a Ele que venha nos curar deste mundo que apunhala nossos princípios e nos retira da graça quando caímos em tentação. Que grande graça a alma que conseguir fazer isto com uma profunda devoção e verdadeira sinceridade.

Meu Jesus, quanto desejo receber-te, tu és o Sumo Bem, tu me quebra de amor a ponto de dizer como São Paulo: “ Não sou eu quem vive, mas é Cristo que vive em mim.” (Gl 2:20). Ó Bom Jesus quanto quero dar-te a minha vida, porém sou tão medíocre e reconheço que o nada que tenho é Seu, Jesus, doce Jesus, quantas vezes falhei nesta caminhada e feri o teu Sagrado Coração com meu pecado, mas, eis que, Tu derramaste sobre mim a tua fonte de infinita misericórdia, por isso, minha alma rejubila, e quer receber-te com uma profunda devoção. Sim!, é teu corpo, e é na hora de receber-te que meu coração entra em uma alegria que é inexplicável, nem o maior premio deste mundo poderia igualar-se ao “premio” de receber-te todos os dias na comunhão.

Meu Senhor e meu Deus, quanto se quebra meu coração ao ver as injurias e profanações que são feitas a Teu Corpo, quanta ação demoníaca há na pessoa que ousa instigar tua cólera profanando o Seu Corpo, porém, Pai, eles não sabem o que fazem, pois se realmente soubessem tremeriam só de saber o tamanho da desgraça que ousam fazer. Mas em contrapartida, há almas que ousam aproximar-se da comunhão para que Tu ali habite, e, para que seus corações virem “Sacrário Vivo”, e isto, agrada muito mais a Tu meu Pai, pois, mais vale uma alma que comunga bem, e oferece essa comunhão em reparação aos pecados cometidos contra Teu Corpo, do que todas as profanações feitas por pessoas que não sabem o valor que a comunhão traria a vida delas.


Eduardo Augusto Patatt Fucilini- Membro de Aliança da Comunidade Católica Legati Christi.

9 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page